A sabedoria ancestral revela 6 rotinas que tornarão você mais feliz

Olá pessoal. dando uma pausa nos posts sobre as reflexões que vão te surpreender, tive a grata surpresa de achar o autor norte americano Eric Barker e seu blog. Ele fala de forma muito simples sobre pequenas mudanças de pensamento e comportamento no dia a dia. O texto original, em inglês, pode ser visto aqui.

Fiz questão de traduzi-lo e dividir com vocês. Ele fala de uma forma muito simples sobre a Filosofia Estóica, sua conexão com a Terapia Cognitivo Comportamental e como utilizá-las para tornar sua vida mais feliz a partir de pequenas mudanças nas suas rotinas de pensamento e ação. Espero que gostem.

 

Filosofia Estóica, terapia cognitiva e viver melhor

As pessoas tem enorme respeito pela filosofia antiga. Eles apenas não costumam lê-la. O engraçado é que provavelmente viveremos vidas muito mais felizes se visitarmos a seção de clássicos do que a seção de autoajuda nas livrarias e bibliotecas.

Então, como podemos entender o que um brilhante grupo de pessoas já mortas – Os estóicos – tem a dizer? Bom, para isso, eu chamarei meu amigo Ryan.

Ryan Holiday é o autor best-seller que escreveu O obstáculo é o caminho e O Ego é o inimigo. Seu novo livro é O estóico diário: 366 meditações de sabedoria, perseverança e a arte de bem viver.

Então, como os caras que inventaram a festa de toga nos ensinar sobre viver bem? Vamos descobrir…

ACONTECIMENTOS NÃO TE CHATEIAM. CRENÇAS SIM

Alguém que você ama terminou o relacionamento com você. Você se sente triste? Claro, o mundo acabou, você pensa.

Okay, mesma situação, mas pouco tempo depois você descobre que essa pessoa matou seus 3 últimos parceiros. Como você se sente agora? Triste? Não, vou fica apavorado e, ao mesmo tempo, aliviado.

Então, claramente ser abandonado não é o fator mais importante aqui. o que mudou? Apenas suas crenças. O fato de ter tomado o pé na bunda continua, só foi interpretado de forma diferente.

Se você perde um emprego que achava péssimo e pensa que não será difícil achar um melhor, isso não vai te abalar.

por outro lado, se acredita que era o melhor emprego do mundo e que será impossível conseguir um tão bom quanto este, você se sentirá arrasado. As emoções não são eventos ao acaso. Elas acompanham suas crenças. Veja o que Ryan holiday diz a respeito:

“Os estóicos dizem que não há bons ou mal acontecimentos. Há apenas percepção. Shakespeare resumiu muito bem quando disse: “nada é essencialmente bom ou mal, mas o pensamento o transforma nisso”. Ambos estão dizendo que o mundo ao nosso redor é indiferente, objetivo. Os estóicos dizem “isso aconteceu comigo” o que é bem diferente de “isso aconteceu comigo e é RUIM”. Eles afirmam que se você conseguir parar na primeira frase, se tornará muito mais resiliente e muito mais capaz de resolver qualquer problema que apareça”.

Cético? Parece simples demais? Sabe, você não poderia estar mais errado pensando assim.

Essa parte da filosofia estóica foi adaptada pelo famoso psicólogo Albert Elis para formar a Terapia Cognitiva, que hoje é vista como o mais efetivo método de trabalho para ajudar as pessoas a superar problemas que variam da depressão, passando pela ansiedade até a raiva.

A maioria dos sofrimentos emocionais são causados por crenças sem conexão com a realidade.

Na próxima vez que você estiver sentindo emoções negativas, não se foque no acontecimento que você acredita que o causou . Ao invés disso, pergunte a si mesmo qual a crença que você tem sobre ele. E pergunte a si mesmo se ela é racional:

  • Se meu amor me deixar, eu nunca vou superar;
  • Se eu perder meu trabalho, minha vida vai acabar;
  • Se eu não ler esse post até o final o autor vai me odiar…

Apenas a terceira é verdadeira. 🙂 As outras são irracionais, sem conexão com a realidade. E é por isso que você fica com ansiedade e raiva.

Mude suas crenças e você mudará seus sentimentos. “mesmo que ele me deixe, eu posso conhecer outra pessoa tão boa ou melhor. Já aconteceu antes e eu superei”.

Então, você mudou suas crenças para superar tristeza e raiva. Show! Mas então como você fica infeliz porque está preocupado com o futuro?

CONTROLE O QUE VOCÊ PODE. IGNORE O RESTO

Você conhece a oração da serenidade?

“Deus, me dê serenidade para aceitar as coisas que eu não posso mudar, coragem para mudar as coisas que eu puder e sabedoria para diferenciar uma da outra”.

Reinhold Nieburh a mostrou ao mundo em 1934. Os estóicos já falam isso a, vejamos, 2000 anos atrás!!

Os estóicos foram realmente bons em controle. Mas não eram obsessivos com isso. A reflexão usada pelos Estóicos para conseguir isso  é: “Posso fazer algo sobre isso?”

Se você pode, faça. Se não… então você não pode. mas preocupação consegue apenas aumentar ainda mais seu estresse. Veja o que Ryan diz:

“O que os estóicos falam é que muito do que nos preocupa são coisas que nós não temos controle. Se eu farei algo amanhã e já estou preocupado se irá chover e estragar o passeio, estou perdendo meu tempo. Nenhum tipo de preocupação irá mudar o tempo.Os estóicos acreditam que não só você ficará mais feliz sabendo fazer a distinção entre o que você pode mudar ou não, como também focando sua energia exclusivamente no que pode mudar, tornará você muito mais produtivo e feliz”.

Na próxima vez que ficar preocupado com algo, pare por um momento e pergunte a si mesmo se tem controle sobre aquilo. Se sim, comece a fazer algo a respeito.

Se você não tiver controle, preocupação não vai torná-lo melhor. Voltando ao primeiro ponto, pode ser uma boa ideia tentar encontrar qual crença sua está causando essa preocupação. Pois é, deve ser irracional.

Então, tristeza, raiva e preocupação são respostas irracionais e não ajudam quando os problemas acontecem. Sabendo disso, como reagir, então, quando der “ruim”?

ACEITE TUDO. MAS NÃO SEJA PASSIVO

Essa forma de pensar muita gente não engole. Ninguém gosta da palavra “aceitar”. Nós pensamos que significa desistir. NÃO SIGNIFICA!

Vamos olhar de uma forma diferente. Qual o oposto de aceitação? Negação. ninguém vai te recomendar que vive em negação na vida, felizmente.

Albert Elis falou que as pessoas seriam muito melhores e felizes se tirassem o deveria de suas vidas. Deveria é negação. você diz que suas expectativas deveriam sobrepor a realidade?

  • Meus filhos não deverias ser mal-educados (novidade: eles são)
  • o tráfego não deveria estar tão ruim (é, mas está)
  • Não deveria estar chovendo (grite, esperneie, talvez pare de chover)

Viver em negação é irracional e nós acabamos de aprender que pensamentos irracionais são as causas de emoções negativas. Aceitar a realidade é o primeiro passo. E não significa ser passivo.

Aceite a chuva. Ela está aí. Negar e dever não mudará nada. mas não significa que você não pode pegar o guarda-chuva. Vamos ao que Ryan diz:

“Aceitação significa, para nós, resignação. para os estóicos significa aceitar os fatos como eles são e então decidir o que fazer sobre isso. O problema é que devido às nossas expectativas sobre como queremos que as coisas sejam, nós achamos que aceitar é resignar-se com o que aconteceu e, na verdade, esse sofrimento não serve pra nada, porque não temos como saber o que poderia acontecer se aquilo que aconteceu fosse diferente (Síndrome de Mãe Dinah, acréscimo meu). O que talvez as pessoas não pensem é que essa coisa supostamente horrível, catastrófica que aconteceu pode ter nos salvado de coisa muito pior. Ou pode até mostrar novas oportunidades que não tínhamos nos dado conta. os estóicos dizem “Não vamos perder energia lutando com coisas que estão fora do nosso controle. Vamos aceitá-las, absorvê-las e dar um jeito no que for possível”.

Na próxima vez que as coisas não saírem do seu jeito, não negue a realidade. Aceite-a. Ala está aí. Pergunte a si mesmo se você tem algum controle sobre isso. Se sim, aja. Se não, qualquer reclamação que você fizer a respeito fará alguma diferença real?

A estratégia é passar de “que droga, está chovendo e não vamos no parque” para “ok, está chovendo e não dá pra sair. Vou aproveitar para ver aquele filme que tanto quer ver”.

Até agora nós conhecemos vários métodos estóicos e vencer os sentimentos ruins. É a nossa defesa. Agora, vamos ao ataque: Como melhorar sua vida?

 

ESCOLHA QUAL CRIANÇA VOCÊ QUER SE TORNAR

Calma, calma. Sei que não faz muito sentido essa frase aqui. Mas segura um pouco que vou explicar.

Tudo que falamos até agora acontece na sua mente. E, como aprendemos, é também aí que os problemas normalmente começam. mas, se a vida pode melhorar, precisamos aprender com outras pessoas.

Você não está sozinho no mundo. você tem muito a aprender dos outros, modelos a seguir, mentores e, claro, Sêneca, um dos expoentes do estoicismo. Ele tem uma fala sensacional a respeito, que adoro:

“Nós gostamos de dizer que não escolhemos nossos pais, que eles foram dados a nós por acaso – ainda assim, nós podemos realmente escolher a criança que queremos ser”.

Quando eu falei com Anders Ericsson, o professor que trouxe a teoria das 10000 horas para a maestria, ele disse que o primeiro passo para se tornar melhor em algo (na vida também) é encontrar um mentor. Veja o que ele disse:

“Eles precisam falar com alguém com quem realmente admirem. Alguém que tem uma performance que eles gostaria de ser capaz de ter. Essa pessoa ajudará a que possam identificar o que podem necessitar mudar para chegar no desempenho que querem. Converse com essa pessoa e tente descobrir como ela foi capaz de chegar nesse ponto, peça para ela analisar o que você ainda não fez e que aponte os passos seguintes para melhorar seu nível de desempenho”

Na próxima vez que você encontrar um desafio, pense em alguém que você admira. Várias pesquisas mostram que perguntar “o que fulano faria nessa situação” pode ter efeitos muito positivos no seu comportamento.

Modelos e mentores são essenciais para você alcançar o seu melhor. mas, como saber se está realmente melhorando? Como identificar que está certo no caminho de se tornar sua melhor versão?

RITUAIS DE INÍCIO E FINAL DO DIA SÃO ESSENCIAIS

há muitas pesquisas que demonstram que rituais podem realmente melhorar sua vida. Quais tipos os estóicos recomendam?

Rituais de início e de final de dia. O primeiro para te preparar para o dia e o outro para refletir como as coisas aconteceram e pode ser melhorado. Veja o que Ryan diz:

“Os estóicos acham que você deveria começar o dia lembrando a você mesmo o que você irá ter que resolver. Marcus Aurelius disse: “Hoje, as pessoas que irei encarar são” e então vai tentando analisar cada possível problema que vai encontrar ao longo do dia. Não é pessimismo no entendimento dele. “Depois que você pensou nisso, não leve para o lado pessoal e tente entender porque essas pessoas agiriam dessa forma e perdoe e as ame por isso”. Os estóicos acreditam que com essa meditação sobre o que está por vir e, ao final do dia, analisar o que pode ser melhorado, você conseguirá melhor muito sua vida”.

Os estóicos não acreditam em perfeição. Eles sabiam que sempre estamos em constante melhora e que precisamos trabalhar para isso. Você sempre pode melhorar. Como Sêneca diz:

“Enquanto viver, continue aprendendo a viver”

Bom, nós aprendemos muita sabedoria antiga. Vamos repassá-las e ver a última reflexão que a ciência concorda que é uma das maiores aceleradoras de felicidade que existe.

RESUMINDO

Essas são as dicas que os estóicos dão para ajudá-lo a ser mais feliz:

  • Eventos não te chateiam. Crenças sim. Apenas o fim do mundo é o fim do mundo.
  • Controle o que puder. Esqueça o resto. Preocupação não resolve nada.
  • Aceite tudo, mas não seja passivo. Negação não ajuda. Aceite e faça algo a respeito.
  • Escolha quem você quer ser. o que o Batman faria nessa hora?
  • Rituais são essenciais. planeja o dia e analise o que pode ser melhorado ao final dele.

O livro “Meditações” de Marcus Aurelius começa de uma forma que alguns podem achar esquisita. Ele cita todas as pessoas que o ajudaram e que se sente em débito. É uma espécie de lista de gratidão.

Os estóicos eram pessoas que valorizavam a gratidão. De fato, em Meditações ele escreveu:

“Não prenda seu pensamento em coisas que não possui como se fossem suas, mas perceba as graças que tem e reflita o quanto você desejaria tê-las se não as possuísse”.

Alguns milhares de anos depois, os cientistas comprovaram essa tese. pensar em como você se sentiria sem os momentos felizes que teve faz você gostar mais ainda do que passou, tornando você mais grato e feliz ao mesmo tempo.

  • E se seu não conhecesse minha esposa?
  • E se eu não tivesse minha filha?

A reação normal é: “nossa, como sou feliz por tê-las em minha vida”.

Você não precisa de novas coisinhas tecnológicas brilhantes na sua vida para sorrir. Tome um segundo para valorizar as pequenas coisas não tão novas que você tem e veja se faz sentido.

O novo é superestimado. Algumas vezes, ideias de milhares de anos atrás são tudo que precisamos para ser feliz.

E se você gostou desse artigo, curta, comente, compartilhe.Visite a página do autor e aproveite pra treinar o seu inglês. Ele trás muitas outras reflexões muito boas baseadas na ciência.